A província de Bergamo, mais atingida pela pandemia do novo coronavírus (Sars-CoV-2) na Itália, tem convivido com a escassez de caixões por causa do grande número de mortos na emergência sanitária. O funcionário de uma funerária da província contou ao jornal Eco di Bergamo" que está trabalhando "de 12 a 14 horas por dia, sem parar nem mesmo para comer". "Não é fácil enc...

Você se interessou por esta matéria?

Assinar O Popular

Você terá acesso ilimitado
a todo o conteúdo
VER PLANOS
Os comentários publicados aqui não representam a opinião do jornal e são de total responsabilidade de seus autores.

Comentários