São incontáveis as obras de Chico Buarque, na música e no teatro, censuradas pelo regime militar entre 1964 e 1985. E são incontáveis as vezes que o compositor usou sua arte para denunciar o arbítrio, na maior parte do tempo usando de sutilezas que os censores, geralmente bastante toscos, não conseguiam perceber. Em outras, seu grito era alto e evidente e isso lhe va...

Olá, esta matéria é exclusiva para assinantes.

Não sou Assinante.

Para ler a matéria você pode usar as chaves de convidado e desbloquear o conteúdo.
QUERO ASSINAR

Navegue pelo assunto:

Os comentários publicados aqui não representam a opinião do jornal e são de total responsabilidade de seus autores.

Comentários