Desde 2005, a banda Pedra Letícia, que tem Fabiano Cambota como vocalista, conquista o público do Brasil com seu rock cômico. No ano passado, eles passaram a fazer parte do elenco fixo do talk show de Fábio Porchat. Para Cambota, a participação no programa virou uma aula de humor e bom gosto. “Aprendo muito com o Porchat e com o Paulo Vieira, que é do Tocantins. Acho que tenho crescido muito como humorista por causa dessa convivência diária. É outro trabalho muito divertido e eu me sinto privilegiado em poder conviver com eles que fazem da minha profissão algo absolutamente prazeroso”.

Cambota conta que seus ídolos no humor são Chico Anysio, Jô Soares e o próprio Thiago Ventura, seu colega de programa em A Culpa é do Cabral. Todos, de certa forma, servem de inspiração para o humorista. “Meu humor é muito calcado no conto de causos também, algo que é genuinamente nosso, goiano. Apesar de ser bem diferente, Geraldinho é uma referência para mim. E as pessoas não sabem, mas meu pai é um dos melhores humoristas que já conheci”, conta. Os pais de Fabiano, seu João e dona Cleuza, vivem em Goiânia. Para matar as saudades, muitos telefonemas e contatos pela internet.

“Sempre digo que família a gente fala por telefone, mas pamonha e enroladinho de queijo não tem o que fazer. Desses aí só posso sentir saudades. Todos os dias converso com meus pais, irmãos, leio o POPULAR on-line e sempre estou por dentro do que está acontecendo. Saí de Goiânia, mas Goiânia não sai de mim”, garante. Sobre como é fazer humor em tempos de crise, Fabiano garante que as adversidades nunca impediram o brasileiro de dar risada e que matéria-prima para o humor nunca faltou.

“Somos capazes de tomar de 7x1 e fazer memes rindo disso. O que tem atrapalhado mesmo é esse policiamento politicamente correto. As pessoas estão exagerando e, além de perder o bom humor, estão fazendo com que nós, humoristas, guardemos para nós mesmos algumas das melhores piadas, por puro medo”. O desafio constante do goiano, seja nos palcos ou na TV, é fazer humor inteligente sem ser difícil, e manter-se engraçado sem ser apelativo.