"Costumo dizer que não fazemos entretenimento, mas que nos pautamos sempre na propagação da cultura da música, como um ato de conscientização política, e, acima de tudo, de artistas com carreiras sólidas e que acompanharam a transformação musical do País, desde a década de 1970. É, na verdade, um grande encontro de amigos e parceiros de palco, com um formato diferente de show, com trios, duetos e solos, em canções que celebram a cultura popular brasileira.”

Alceu Valença

 

"Alceu e Elba são como dois grandes irmãos, dos quais já fui vizinho, dividi casa e palco e hoje estamos lado a lado com um projeto tão bonito, numa ligação forte com a cultura nordestina propagada em todo o País. No Rio de Janeiro das décadas passadas, a praia era o nosso ponto de encontro. Desde 1970, quando eu e Alceu lançamos o Quadrafônico, que pensamos música como uma forma de unir pessoas, propagar ideias, e a arte tem esse real papel transformador. Hoje, mais maduros na maneira de produzir e fazer shows, todos nós três reiteramos canções que são ícones na página da cultura brasileira. A música está sendo renovada, assim como todos nós.”

Geraldo Azevedo

 

"Hoje, com a propagação da internet, existe a cultura do imediatismo, mas canções como Morena Tropicana e De Volta pro Meu Aconchego ficarão para sempre na memória de jovens e mais velhos, num público que se renova constantemente. É hora de celebrar. São 20 anos de parceria com esses dois músicos e compositores incríveis que se renovam a cada momento e ficam na memória de todos nós como grandes nomes da música. Há um verdadeiro caldeirão de ritmos, com uma roteirização no palco que faz com que o público sinta-se participativo, acompanhando as canções cantadas por nós três. Essa intimidade com as pessoas foi conquistada ao longo dos anos e é isso que nos dá força para desenvolver projetos como o Grande Encontro.”

Elba Ramalho