Como telespectadora, uma jovem que ainda não havia ingressado no jornalismo estava atenta ao que era noticiado.Essa jovem, não muito tempo depois, estaria do outro lado da tela. Seu nome é Lilia Teles. “Há 30 anos eu faço matéria para o Jornal Nacional. Fui a primeira a fazer uma reportagem de rede para o JN, em 1989, sobre a enchente de Flores de Goiás. Aquilo foi ...

Olá, esta matéria é exclusiva para assinantes.

Não sou Assinante.

Para ler a matéria você pode usar as chaves de convidado e desbloquear o conteúdo.
QUERO ASSINAR
Os comentários publicados aqui não representam a opinião do jornal e são de total responsabilidade de seus autores.

Comentários