Na China, o cinema voltou a ser como antes ou quase. Já nos Estados Unidos, mais de dois terços das salas reabriram para a nova temporada e, três semanas depois, continuam vazias. Apostas foram adiadas ou acabaram em streaming. Consultoras como a LightShed não sabem quando - e se - o mercado retorna, nos EUA e em todo o mundo “não China”. Na TV paga o quadro é ainda ...

Você se interessou por esta matéria?

Assinar O Popular

Você terá acesso ilimitado
a todo o conteúdo
VER PLANOS

Navegue pelo assunto:

Os comentários publicados aqui não representam a opinião do jornal e são de total responsabilidade de seus autores.

Comentários