O sertão, se não virou mar, se tornou ao menos a grande paisagem do cinema brasileiro moderno. "Sertânia", o novo longa de Geraldo Sarno, demonstra a força perdurável do imaginário nordestino. Diretor de "Viramundo", clássico documentário de 1965 sobre a migração e as virações nordestinas em São Paulo, o baiano Sarno teve o sertão como origem e o assumiu como destin...

Você se interessou por esta matéria?

Assinar O Popular

Você terá acesso ilimitado
a todo o conteúdo
VER PLANOS
Os comentários publicados aqui não representam a opinião do jornal e são de total responsabilidade de seus autores.

Comentários