Antes de ter os dois filhos, a bancária aposentada Rosalina Oiano, de 62 anos, sabia que eles seriam diferentes como os dedos da palma da mão. Mesmo assim, foi inevitável a comparação entre o comportamento de Ataulfo, hoje com 24 anos, e o de Álvaro, de 21. “Muito cedo, percebi que o caçula era diferente. Tinha um choro estridente e contínuo, sensibilidade mai...

Você se interessou por este conteúdo?

Seja nosso convidado.

É só usar as chaves para abrir até
5 conteúdos por mês.
QUERO ASSINAR
Os comentários publicados aqui não representam a opinião do jornal e são de total responsabilidade de seus autores.

Comentários