Para quem não acompanhou a saga dos jovens diretores goianos Daniel Calil e Danilo Daher pode parecer impensável relacionar o título Felipa e o Foguete com uma história de amor. Mas quem esteve no cinema Lumiére nesta terça-feira (5) à noite comprovou que a dupla, responsável pelo especial de final de ano da TV Anhanguera, costurou com emoção, acrescentando doses de regionalismo, a trama que gira em torno de uma garota e seu cachorro de estimação. É que o telefilme, com direito a entonações e dialeto genuinamente goiano, fala de amizade e família. A produção foi lançada oficialmente, às 19 horas, durante coquetel no  shopping Bougainville.

Com elenco quase que exclusivamente goianiense e ambientado em vários pontos da cidade, o filme vai ao ar a partir das 14 horas do dia 23 de dezembro e foi pensado como um presente da afiliada goiana da Rede Globo para o público. Segundo o vice-presidente de Negócios do Grupo Jaime Câmara, Ronaldo Ferrante, foi uma grande experiência participar da produção, que reforça a tradição da empresa de incentivar todos os segmentos da cultura. "Ao longo de todos esses anos nós sempre tivemos como lema participar da criação de produtos que valorizasse a cultura goiana. Mais uma vez, cumprimos nosso objetivo e, com certeza, o público vai ficar satisfeito com o resultado."

Na história, Felipa é separada de Foguete, um cachorro de estimação que já faz parte da família. Assim que a menina se muda, descobre que no novo prédio não é permitida a circulação de animais e que, por decisão dos pais, Foguete passará a morar na casa de seu avô. A partir daí, a trama ganha ares de aventura e a garota, decidida a trazer o cãozinho de volta, atravessa a cidade para visitá-lo.

No decorrer do filme, a protagonista faz novos amigos - Fred, Juninho e Guto, e o grupo se destaca como um dos pontos fortes da produção. O quarteto viaja entre o setor Central - passando por locais emblemáticos como a Avenida Goiás e o Cine Ritz, até o Vera Cruz, um dos bairros mais antigos da capital. No desenrolar da trama, que foi produzida pela goiana Pira Filmes e teve o apoio da Globo Filmes, Felipa vai precisar aprender a lidar com a nova vida, com sua relação com os adultos e com os novos amigos.

A protagonista é vivida pela pequena Maria Fernanda Pelles, 10 anos, que teve a oportunidade de, em seu primeiro trabalho na TV, contracenar com o ator Sérgio Mamberti. O eterno tio Vitor do Castelo Rá-Tim-Bum veio de São Paulo especialmente para viver o avô de Felipa. Junto com ele, o cineasta Cacá Diegues também esteve em terras goiana para dar consultoria artística a equipe. "Estou muito feliz por ter dado vida a Felipa. Aprendi muito com o Sérgio. Ele me deu dicas e me deixava calma", disse Maria Fernanda.

O diretor Daniel Calil fez questão de destacar a importância do telefilme para a divulgação da produção audiovisual goiana, já que o material fica disponível na Globo Play e pode ser transmitido no Canal Brasil. "Fazer Felipa e o Foguete foi um processo muito prazeroso. O resultado mostra o amadurecimento do que é feito aqui. É a prova do quanto estamos caminhando rápido no quesito profissionalização. É claro que ainda carecemos de interesse da entidades públicas e privada, mas aos poucos estamos conseguindo alcançar lugar de destaque no audiovisual brasileiro."