Quando começou a se apresentar em concursos de calouros, ainda na adolescência, Anastácia costumava ouvir que mulher não tinha fôlego para cantar forró. Tinhosa, como gosta de se definir, deu de ombros. Queria ser artista. “Eu pensava: se mulher tem fôlego para parir, também tem para cantar forró”, diz ela, que agora completa 80 anos, mais de 60 de carreira e...

Você se interessou por esta matéria?

Assinar O Popular

Você terá acesso ilimitado
a todo o conteúdo
VER PLANOS

Navegue pelo assunto:

Os comentários publicados aqui não representam a opinião do jornal e são de total responsabilidade de seus autores.

Comentários