A agenda da dupla Chico Junior e Fabricio na noite goianiense antes do coronavírus era intensa. Os artistas tocavam pelo menos cinco vezes por semana em bares, restaurantes ou eventos fechados. Há oito anos, a música era exclusivamente o sustento dos cantores. “Com a pandemia ficamos sem nada, sem orçamento. É muito difícil porque por trás da parceria há uma família....

Você se interessou por esta matéria?

Assinar O Popular

Você terá acesso ilimitado
a todo o conteúdo
VER PLANOS

Navegue pelo assunto:

Os comentários publicados aqui não representam a opinião do jornal e são de total responsabilidade de seus autores.

Comentários