Quando a publicitária Luanda Barros voltou ao trabalho e percebeu que passaria o dia pensando no momento de colocar o filho para dormir, precisou escolher entre sofrer por não estar tão próxima ou enfrentar os julgamentos sociais que desmerecem quem prioriza a maternidade. A decisão foi largar o emprego, mas nem ela imaginava que a mudança era, na verdade, o primeiro ...

Você se interessou por este conteúdo?

Seja nosso convidado.

É só usar as chaves para abrir até
5 conteúdos por mês.
QUERO ASSINAR
Os comentários publicados aqui não representam a opinião do jornal e são de total responsabilidade de seus autores.

Comentários