“No ar, Jornal Nacional!” A voz de Cid Moreira ecoou pelas casas brasileiras 50 anos atrás, às 19h45 de 1º de setembro de 1969. A mesma voz que, nos 27 anos seguintes, daria o “boa noite” mais famoso do Brasil. Ela marcava o início e o fim de um ritual quase diário para incontáveis famílias de telespectadores. Era hora de prestar atenção às chamadas que traziam...

Olá, esta matéria é exclusiva para assinantes.

Não sou Assinante.

Para ler a matéria você pode usar as chaves de convidado e desbloquear o conteúdo.
QUERO ASSINAR
Os comentários publicados aqui não representam a opinião do jornal e são de total responsabilidade de seus autores.

Comentários