Talvez no universo das artes plásticas ninguém tenha registrado o descobrimento do Brasil de uma maneira tão detalhista como Antonio Poteiro (1925-2010). Desde a chegada das primeiras caravelas portuguesas até a construção de Brasília nada passou despercebido pelo olhar clínico do artista. Esse imaginário do pintor faz parte da exposição Poteiro, o Popular e o Públi...

Você se interessou por este conteúdo?

Seja nosso convidado.

É só usar as chaves para abrir até
5 conteúdos por mês.
QUERO ASSINAR
Os comentários publicados aqui não representam a opinião do jornal e são de total responsabilidade de seus autores.

Comentários