Há dois anos, quando a professora Adriane Camilo Costa, 55, se mudou para a então nova casa localizada no Parque Amazônia, haviam no grande quintal apenas duas mangueiras. Com o passar dos meses, a goiana foi transformando o seu refúgio urbano e hoje já desfruta de um pomar com maracujá, amora, figo, araçá, jabuticaba, mamão, uvaia e cagaita. “O pomar divide espaço c...

Você se interessou por esta matéria?

Assinar O Popular

Você terá acesso ilimitado
a todo o conteúdo
VER PLANOS

Navegue pelo assunto:

Os comentários publicados aqui não representam a opinião do jornal e são de total responsabilidade de seus autores.

Comentários