Em 2018, arte tomou partido. Enquanto a eleição presidencial monopolizou os debates acalorados nas ruas e na internet, músicos e bandas lançavam discos, canções e videoclipes que manifestavam suas posições políticas e ideológicas. Em Goiás não foi diferente. Diversos grupos ressurgiram após grandes hiatos de lançamentos, a exemplo das bandas Cambriana, Violins ...

Olá, esta matéria é exclusiva para assinantes.

Não sou Assinante.

Para ler a matéria você pode usar as chaves de convidado e desbloquear o conteúdo.
QUERO ASSINAR
Os comentários publicados aqui não representam a opinião do jornal e são de total responsabilidade de seus autores.

Comentários