Sabe aquela semana entre o Natal e o Ano-novo, em que a vida parece parar para começar de novo? Mistura de fossa e euforia, panetone e lentilha? Reflexão e deixa-isso-pra-lá? Neste limbo existencial e circunstancial, habitam os personagens de Espíritos de Carros Quebrados, o décimo livro de Cadão Volpato. Também músico, jornalista e ilustrador, Volpato volta à ficç...

Você se interessou por esta matéria?

Assinar O Popular

Você terá acesso ilimitado
a todo o conteúdo
VER PLANOS

Navegue pelo assunto:

Os comentários publicados aqui não representam a opinião do jornal e são de total responsabilidade de seus autores.

Comentários