A década era 1980, quando a goiana Eliane de Castro viu a câmera analógica do pai “dando sopa” em casa. Curiosa, pegou o primeiro ônibus de Jaraguá até a cidade de Goiás para aprender a fotografar de forma espontânea. Ao longo dos anos, quando se profissionalizou na fotografia, retornou diversas vezes à antiga capital. O resultado dessas viagens até o município p...

Olá, esta matéria é exclusiva para assinantes.

Não sou Assinante.

Para ler a matéria você pode usar as chaves de convidado e desbloquear o conteúdo.
QUERO ASSINAR
Os comentários publicados aqui não representam a opinião do jornal e são de total responsabilidade de seus autores.

Comentários