Tudo começou com Francis, uma transexual que atravessou a Venezuela rumo ao Brasil em 2018, período conturbado de fechamento de fronteiras entre países e caracterizado pelos exílios. “Viemos em três, como uma forma de nos proteger. Queremos evitar sofrimentos para que cheguemos ao final sem grandes sequelas”, relatou a venezuelana em áudio via WhatsApp.Foi a p...

Você se interessou por esta matéria?

Assinar O Popular

Você terá acesso ilimitado
a todo o conteúdo
VER PLANOS
Os comentários publicados aqui não representam a opinião do jornal e são de total responsabilidade de seus autores.

Comentários