Há ao menos duas forças que movem o cinema, as convenções e as invenções. As primeiras são as das fórmulas, do entretenimento. As segundas são as do risco. Por isso, exigem um espectador disposto a ser confrontado. Os Sonâmbulos se filia a esta tradição. Em seu terceiro longa, Tiago Mata Machado ameniza o experimentalismo que dificultava o diálogo de Os Reside...

Você se interessou por esta matéria?

Assinar O Popular

Você terá acesso ilimitado
a todo o conteúdo
VER PLANOS
Os comentários publicados aqui não representam a opinião do jornal e são de total responsabilidade de seus autores.

Comentários