32

Essa é uma canção autobiográfica e foi daquelas que foram feitas especificamente para esse trabalho. Uma curiosidade: quando comecei a pensar no disco, o álbum se chamaria 32.

É Tudo e É Quase Nada

Fala do mundo moderno, dos sentimentos múltiplos que temos com tudo que estamos vivendo. Comecei a letra no corredor de um hospital público de São Paulo.

Tem Alguém Aí?

Essa é a música de trabalho, já tinha feito essa canção havia algum tempo e estava esperando a hora certa de gravar.

Na Estação

Fala do outono da Inglaterra. Morei lá um ano e a música tem essa paisagem.

Pobre Coração

Também já estava pronta quando resolvi gravar o disco, mas ela era tocada de outro jeito. Quando fui gravar, decidi colocar um pouco de ritmo e uma cara quase eletrônica.

Meu Bem

Acho que é a canção que mais flerta com o blues e tem solos de guitarra e piano quase na mesma proporção da voz.

Sorte Danada

É realmente uma canção de amor. E tem a alma do DVD que lancei há um tempo e quis trazer um pouco disso para disco também.

Cata Vento

Parceria com J. Bulhões. Fizemos há bastante tempo, mas só gravei agora.

Letra de Tião Pinheiro que musiquei e era outra coisa também até entrar no estúdio. Depois ganhou uma versão mais psicodélica para entrar no disco.

Forasteiro

Essa é uma parceria com J. Bulhões, Genésio Tocantins e Braguinha Barroso. É a canção síntese do disco.