Manter uma rotina de estudos em casa já era recomendado para os jovens em idade escolar. Agora, com a suspensão das aulas presenciais, a sugestão tornou-se fundamental para os estudantes que se encontram em situação de isolamento. Organizar os horários e criar um plano de estudos conciliados à rotina da casa pode ser um desafio para alguns. Para Victor Alysson, 15 anos, ter disciplina é a chave.

O estudante cursa o primeiro ano do ensino médio e confessa que, a princípio, o anúncio da suspensão das aulas deixou os alunos apreensivos. “Ficamos meio assustados de início, porque não sabíamos como funcionaria à distância. Mas o colégio nos ofereceu uma boa estrutura com aulas on-line, que os professores gravam de suas casas, e fica disponível no site”, explica. No caso de dúvidas, a escola criou um e-mail especial que serve como um canal entre os estudantes e os professores. “Tem funcionado bem”, avalia.

Sobre a rotina de estudos, Victor conta que não estava acostumado a fazer as atividades escolares em casa. “No colégio, as aulas são no período da manhã, até às 12h40. Depois do almoço, costumo ir para a sala de estudos fazer as tarefas, revisar os conteúdos e estudar para as olimpíadas de matemática e física que eu participo. Fico por lá até por volta das 19 horas”, diz. Como a escola oferece essa estrutura, ele preferiria aproveitar.

A nova realidade, porém, surpreendeu o estudante. “Me dou bem estudando sozinho; então, já estou bem adaptado. Acho que estou até rendendo mais aqui em casa”, confessa. Para não perder o ritmo, ele começa a rotina no mesmo horário que se iniciariam as aulas presenciais. “Só que agora inverteu: de manhã reviso os conteúdos e faço as tarefas e, na parte da tarde, assisto às aulas on-line”. Com os horários bem organizados, ele percebe que seu tempo está bem aproveitado.

Mas até o mais organizado dos estudantes tem de se acostumar com a rotina da casa e das pessoas com quem convive. “A gente quer tentar manter a disciplina, mas você está no ambiente da sua casa. Alguma coisa acontece, ou sua mãe te chama e a concentração se quebra”, diz. Por outro lado, revela que o conforto e a segurança de se estar em casa no momento atual também têm ajudado.

Mesmo que tenha confessado que seu rendimento é melhor estudando em casa, Victor destaca que o ambiente escolar e os colegas de classe são um bom incentivo no dia a dia. “No meu caso, que a escola possui uma boa estrutura, é fácil se organizar. E nosso grupo de amigos também ajuda, porque está sempre um incentivando o outro. Estou bem ansioso para voltar às aulas normais.”