“Por que nossos olhos estão estranhando o que era estranho antes e normal agora?”, questiona a professora da UFG Marlini Dorneles. A profissional promove uma oficina de dança inclusiva dentro da programação do festival Procena, que discute e explica as relações de dança e acessibilidade durante o período de isolamento social, ante a pandemia do novo coronavírus. “Na ...

Você se interessou por esta matéria?

Assinar O Popular

Você terá acesso ilimitado
a todo o conteúdo
VER PLANOS

Navegue pelo assunto:

Os comentários publicados aqui não representam a opinião do jornal e são de total responsabilidade de seus autores.

Comentários