Parece cena de filme de ficção científica. Na porta da festa, funcionários usando máscara, luvas e óculos de proteção colhem uma amostra de sangue de cada convidado. Em poucos minutos, o resultado indica se a pessoa poderá ou não se juntar aos que “passaram” no teste. Por mais distópico que pareça, essa tem sido uma situação recorrente em festas e reuniões soci...

Você se interessou por esta matéria?

Assinar O Popular

Você terá acesso ilimitado
a todo o conteúdo
VER PLANOS
Os comentários publicados aqui não representam a opinião do jornal e são de total responsabilidade de seus autores.

Comentários