“A Jump foi um divisor de águas em Goiânia”, defende a produtora Regina Perri, olhos, mãos e cabeça por trás da lendária boate Jump, que mais tarde se tornaria Total Flex, espaço que movimentou a noite da cidade durante 20 anos. Hoje, o local onde a casa funcionava, no Setor Oeste, abriga um estacionamento. “É um misto de arrepio e alívio”, diz Regina. Depois que a Tot...

Olá, esta matéria é exclusiva para assinantes.

Não sou Assinante.

Para ler a matéria você pode usar as chaves de convidado e desbloquear o conteúdo.
QUERO ASSINAR

Navegue pelo assunto:

Os comentários publicados aqui não representam a opinião do jornal e são de total responsabilidade de seus autores.

Comentários