O lançamento do documentário sobre Antonio Callado ontem foi um “ato de protesto contra a asfixia na área da cultura”, disse a diretora, Emilia Silveira. A obra chega às salas de cinema a contragosto da equipe, que acredita ainda ser um momento para ficar em casa em razão da pandemia do novo coronavírus. Como tem patrocínio da Ancine, porém, o filme precisa pas...

Você se interessou por esta matéria?

Assinar O Popular

Você terá acesso ilimitado
a todo o conteúdo
VER PLANOS
Os comentários publicados aqui não representam a opinião do jornal e são de total responsabilidade de seus autores.

Comentários