Antes de lançar Paranauê, Chico Alves já havia emplacado um primeiro disco solo, Pra Yayá Rodar a Saia (2017), indicado ao Prêmio da Música Brasileira na categoria regionais. O que marca uma diferença com relação aos trabalhos é a aproximação com as diversas paisagens brasileiras. “No CD anterior, era muito marcante a influência da música do Recôncavo Baiano. Em Paranauê, e...

Você se interessou por esta matéria?

Assinar O Popular

Você terá acesso ilimitado
a todo o conteúdo
VER PLANOS

Navegue pelo assunto:

Os comentários publicados aqui não representam a opinião do jornal e são de total responsabilidade de seus autores.

Comentários