Ele estava em grandes galerias, era cobiçado por colecionadores e viajava o Brasil todo com sua obra. No auge da carreira, no início dos anos 2000, o artista plástico goiano Carlos Dacruz, 64 anos, decidiu largar tudo e sair do circuito de arte por se sentir muito cobrado e pressionado. Quase duas décadas depois, ele retoma a sua trajetória e a relargada é com a ...

Você se interessou por esta matéria?

Assinar O Popular

Você terá acesso ilimitado
a todo o conteúdo
VER PLANOS
Os comentários publicados aqui não representam a opinião do jornal e são de total responsabilidade de seus autores.

Comentários