No final dos anos 1970, ao compor a canção Tigresa, surgiu a versão de que a atriz Sônia Braga havia sido a inspiração de Caetano. Ele confirmou, mas revelou que outra atriz, Zezé Motta, também estava na letra.

A canção Cajuína foi feita em homenagem ao amigo Torquato Neto, que morreu precocemente. Caetano conta que a música surgiu depois de visita que fez ao pai de Torquato em Teresina, no Piauí. A letra parece hermética, mas ela resgata referências deste encontro.

Na era da internet, Caetano tornou-se objeto de um viral. O portal Terra publicou a “notícia” de que ele havia “estacionado o carro no Leblon”. Só isso, não havia mais informação. Caetano se divertiu e até repetiu o “acontecimento” para os humoristas do Porta dos Fundos.

A primeira mulher de Caetano Veloso, Dedé Gadelha, era vizinha de Gal Costa em Salvador. Caetano conta que só se interessou em conhecer Dedé porque sabia que ela conhecia uma menina que cantava muito bem. Gal, portanto, foi uma espécie de cupido involuntário do casal.

Caetano é um dos artistas preferidos do cineasta espanhol Pedro Almodóvar. O cantor já fez até uma ponta em uma das obras do diretor, Fale com Ela, que recebeu 8 indicações ao Oscar. A voz de Caetano também pode ser ouvida em Moonlight, que ganhou o prêmio neste ano.