Um pensador: Ailton Krenak

Não cultivamos nossa ancestralidade. Chegamos, no máximo, ao bisavô, e olhe lá! Não faz parte do nosso cotidiano recordá-los”

Se o confinamento social trouxe algo de interesse foram as lives que, quando boas, nos…

Você se interessou por esta matéria?

Assinar O Popular

Você terá acesso ilimitado
a todo o conteúdo
VER PLANOS
Os comentários publicados aqui não representam a opinião do jornal e são de total responsabilidade de seus autores.

Comentários