Professores híbridos, vocês que lutem!

Eu, pobre imigrante digital, nascida com cheiro de álcool de mimeógrafo, quadro negro e giz nos cueiros, frequentadora de curso de datilografia na Rua 24 no Centro de Goiânia, a s d f g, proprietária de uma Olivetti manual, trocada…

Você se interessou por esta matéria?

Assinar O Popular

Você terá acesso ilimitado
a todo o conteúdo
VER PLANOS
Os comentários publicados aqui não representam a opinião do jornal e são de total responsabilidade de seus autores.

Comentários