Nala, a negacionista

Tenho uma cachorra imensa, cor de caramelo, uma mistura de fila brasileiro com rottweiller, uma monstra, enfim. Mas ela sempre foi muito mansa, amistosa, “gente boa”. Desde que começou a quarentena, porém, ela tem mudado de comportamento, andado…

Você se interessou por esta matéria?

Assinar O Popular

Você terá acesso ilimitado
a todo o conteúdo
VER PLANOS
Os comentários publicados aqui não representam a opinião do jornal e são de total responsabilidade de seus autores.

Comentários