Monólogo do confinamento

A metamorfose não foi repentina, como a de quem dormiu homem e acordou barata, a carcaça pesada sobre o leito sustentando as várias e finas extremidades esperneantes, esse horror de não se reconhecer nem ter chance de se retomar que Kafka nos jogou na cara, não, foi mais…

Você se interessou por esta matéria?

Assinar O Popular

Você terá acesso ilimitado
a todo o conteúdo
VER PLANOS
Os comentários publicados aqui não representam a opinião do jornal e são de total responsabilidade de seus autores.

Comentários