Um Lugar Silencioso – Parte 2, Três Verões, Honeyland, Tel Aviv Em Chamas, Quarto 212, O Chão sob Meus Pés, É Doce! e Meu Querido Elfo. É grande a lista de filmes que estavam previstos para serem lançados nesta quinta-feira (19) no Brasil, mas que em razão de ações contra a pandemia do novo coronavírus tiveram suas exibições adiadas sem previsão de novas datas. Em décadas de exibição comercial, será a primeira vez que o País não terá qualquer estreia de cinema.

Na previsão inicial, a principal aposta das redes comerciais seria o filme Um Lugar Silencioso – Parte 2, sequência do terror que surpreendeu nas bilheterias em 2018, e repete a direção de John Krasinski e Emily Blunt como protagonista. O filme teria estreia mundial nesta quinta-feira e a Paramount Pictures suspendeu sua estreia em todos os países, não só no Brasil.

Outro destaque era o nacional Três Verões, de Sandra Kogut, que traz Regina Casé no papel de uma caseira em um condomínio de luxo que acaba usada como “laranja” por seu chefe em um esquema de corrupção. De acordo com Paulo Sérgio Almeida, diretor do site especializado Filme B, não haver estreias é fato inédito no Brasil. “Estamos vivendo uma situação muito grave e não é só o cinema que vai se prejudicar. Estamos muito no início, é uma situação de pandemia, de crise econômica”, observa.

Para o especialista, a Secretaria de Cultura nacional, capitaneada por Regina Duarte, deveria liberar verba para o fundo setorial. “Não para voltarem a filmar agora, mas, se isso não for feito, o setor vai entrar em colapso e não vai ter cinema”, opina ainda Paulo Sérgio. Em Goiás, muitas redes esperaram um posicionamento mais contumaz do poder público com a proibição expressa de funcionamento, já determinada por decreto. Casos de desobediência estão sujeitos a multa e até em prisão de responsáveis.

Em Goiás

Desde o início da semana, o POPULAR tem mantido contato com as redes que têm salas de exibição em Goiânia e Aparecida. A maioria manteve seu funcionamento até esta quarta-feira (19)– à exceção do Cine Cultura, mantido pelo Estado e fechado desde o fim de semana. A partir desta quinta-feira (19), no entanto, conforme estipula o decreto estadual, todas terão de cumprir a determinação de se manterem fechadas. Nesta quarta, apenas algumas confirmaram formalmente à reportagem que vão acatar a ordem de não funcionamento.

A Rede Lumière, que tem salas nos shoppings Banana, Portal e Portal Norte, afirmou em comunicado que suas salas em Goiás, na capital e no interior, estarão fechadas de hoje a 3 de abril. Também por escrito, a rede Cinépolis, que atende no Shopping Cerrado, informou que não terá programação na próxima semana. Por telefone, a rede Multicine, do Shopping Cidade Jardim, e o Cine Ritz, que tem salas no Centro de Goiânia, também confirmaram que estarão fechadas pelos 15 dias estipulados pelo decreto. A rede Cinemark (Flamboyant e Passeio das Águas) informou que em Goiás acatará a determinação do Estado.

As redes Kinoplex (Goiânia Shopping), Cineflix (Aparecida Shopping) e Moviecom (Buriti) não se pronunciaram por telefone ou por escrito até o fechamento desta edição, mas também não enviaram suas programações habituais.