Ao buscar a filha adolescente no colégio, o advogado Ezízio Barbosa, de 63 anos, notou que a postura da garota não estava normal. A coluna de Alice, de 14 anos, parecia desenhar um “C” para o lado direito. Ao comentar o problema com a mulher, eles imaginaram que a má postura da filha era coisa típica do estirão da adolescência e também culpa, em parte, de prát...

Você se interessou por esta matéria?

Assinar O Popular

Você terá acesso ilimitado
a todo o conteúdo
VER PLANOS
Os comentários publicados aqui não representam a opinião do jornal e são de total responsabilidade de seus autores.

Comentários