Atualizado em 09/10/19, às 10h03 A caminhada que desembocou em Paulistas (2018), colocando o nome de Daniel Nolasco no radar da crítica especializada, foi longa. Antes, vieram Febre da Madeira, Netuno e Sr. Raposo – curtas-metragens que lhe renderam diversos prêmios. O primogênito foi, inclusive, um dos grandes vencedores da Goiânia Mostra Curtas, em 2015. De...

Você se interessou por este conteúdo?

Seja nosso convidado.

É só usar as chaves para abrir até
5 conteúdos por mês.
QUERO ASSINAR
Os comentários publicados aqui não representam a opinião do jornal e são de total responsabilidade de seus autores.

Comentários