Há um tempo, a maioria das mulheres de 30 anos já era mãe de pelo menos de um filho. Hoje esse cenário mudou. A gravidez tardia está cada vez mais comum, já que o avanço na idade pode possibilitar mais estrutura e planejamento para se ter um filho. No entanto, segundo o médico Matheus Roque, especialista em reprodução humana, esse avanço também é um fator muito importante quando falamos sobre ter uma gestação de forma natural. 

O profissional explica que as mulheres já nascem com uma quantidade de óvulos determinada para toda a vida. "Com o passar dos anos, a chamada reserva ovariana tem uma queda, que fica mais acentuada entre após os 35 anos, com uma diminuição importante no estoque e qualidade dos óvulos", diz. Diante desse cenário, muitas mulheres usam anticoncepcional em grande parte de suas vidas e acabam tendo dúvidas sobre a relação entre o uso de pílula e a fertilidade. 

O médico esclarece alguns questionamentos sobre esse assunto. Confira.

O uso de anticoncepcional afeta no estoque de óvulos? Como isso funciona?

Na verdade, o uso de anticoncepcional não protege, nem prejudica o estoque de óvulos. O uso não vai postergar a menopausa. O anticoncepcional simplesmente impede que o folículo cresça e que o óvulo que está dentro dele amadureça. Então, para poder ter uma gravidez, o óvulo tem que amadurecer e, nesse processo, o folículo cresce até se romper e liberar o óvulo (ovulação). E é isso que a pílula faz. Ela evita que o óvulo amadureça e ocorra a ovulação, impedindo assim a gravidez. Mas até o óvulo chegar nesse estágio no ovário, eles passaram por um recrutamento, que é totalmente independente de hormônios. Então, mesmo usando pílula, a mulher está perdendo óvulos continuamente e não está poupando a sua reserva. A pílula não protege de maneira alguma a quantidade e qualidade dos óvulos das mulheres.

O que acontece com os óvulos de mulheres com mais de 35 anos?  

Principalmente após os 35 anos, além da perda na reserva ovariana, ocorre um envelhecimento nos óvulos, o que acaba afetando a sua qualidade. Esse processo é o que diminui a chance de gravidez de forma natural e aumenta o risco de aborto, síndromes ao bebê e mais complicações na gravidez. 

O que as mulheres podem fazer para prevenir essa perda? Existe algum tipo de tratamento? 

Não há nada que poupe esse estoque de óvulos como medicamentos, vitaminas ou alimentação. Tem hábitos que acabam ajudando a prejudicar a qualidade, independentemente da idade, como a obesidade, o tabagismo, o uso de drogas e o sedentarismo. Por isso, ter uma vida mais saudável, com exercícios e alimentação balanceada é ideal para quem está pensando em engravidar naturalmente. O único tratamento que garante a preservação dos óvulos e sua qualidade é o congelamento de óvulos, que é indicado para mulheres que desejam postergar ou não tenha definido se quer ter uma gestação no futuro. A idade ideal para isso acontecer é abaixo dos 35 anos, apesar de não existir uma contraindicação sobre esse fator, podendo ser feito o congelamento mesmo após os 35 anos. Mesmo feito esse procedimento, há também a chance de a mulher ter uma gravidez de forma natural, mas se isso não ocorrer, esses óvulos podem ser utilizados para uma reprodução assistida.