Ultimamente, muito tem se falado sobre exercícios funcionais. E é importante destacar que não se trata apenas de modismo fitness, já que a modalidade é uma das mais eficientes para o desenvolvimento do corpo, tanto na parte muscular quanto na cardiovascular. O treinamento funcional trabalha todas as regiões de maneira integrada, contribuindo para o emagrecimento e para o ganho de resistência muscular. Com a devida orientação de um profissional, os treinos podem ser praticados em locais fechados ou ao ar livre e, para turbinar ainda mais a atividade, você pode utilizar diferentes acessórios.

Praticar atividade física é importante para evitar sedentarismo e doenças crônicas, como diabetes e hipertensão, por exemplo. Mas também é fundamental ter a consciência de que não basta sair correndo por aí ou praticando alguma modalidade sem os devidos cuidados e orientações profissionais.

O primeiro passo para quem deseja começar uma atividade física é a avaliação pré-participação, que tem o objetivo de identificar possíveis fatores de risco para doenças cardiovasculares, assim como alterações osteoarticulares. “Essa avaliação é feita de forma global e tem grande importância para a saúde do indivíduo”, explica o médico do esporte Diego Alves Dias, acrescentando que a má prática de exercícios físicos pode desencadear sérios problemas, como rupturas de tendões, inflamações articulares, lesões musculares, além do risco de enfarte agudo do miocárdio, acidente vascular encefálico ou descompensações de doenças metabólicas.

“A medicina preventiva tem uma grande importância e a população precisa cada vez mais aderir a esse tipo de cuidado para evitar danos à saúde. Caso o paciente sofra alguma lesão, o indicado é iniciar um tratamento específico o mais rápido possível, pois esse acompanhamento pode ser longo e demandar um cuidado multidisciplinar para a reabilitação”, afirma o especialista.

Além da avaliação prévia, Diego também chama a atenção para alguns fatores, como a importância do uso de roupas leves e próprias para a prática esportiva, uma boa hidratação e alimentação adequada antes das atividades. “A temperatura e a umidade da região também devem ser observadas, pois essas situações influenciam muito no nível de esforço despendido”, destaca.

Para aqueles que já são adeptos do exercício há algum tempo, a recomendação profissional é tomar cuidado com cargas e repetições em excesso. “Essas ações sobrecarregam articulações, grupos musculares, ligamentos e tendões. A prática de esportes de alta intensidade em longo prazo também pode desenvolver alterações cardíacas e acarretar consequências futuras para a saúde, por isso o acompanhamento profissional é sempre tão importante”, finaliza o médico.

Escolha o seu preferido

Cones

Correr em zigue-zague entre os cones promove velocidade e equilíbrio.

Corda naval: os movimentos dão ênfase aos ombros em um trabalho de flexão e resistência.

Corda: pular corda é um excelente exercício para resistência cardiovascular e perda de gordura.

Escada de agilidade: uma espécie de escada que fica esticada no solo na qual é possível trabalhar estímulos com agachamento, saltos e passadas.

Kettlebell: movimentos com pesos, visando resistência muscular.

Traves: o equipamento fica no chão e permite variações de saltos.

Tartarugas: acessórios distribuídos no chão para atividades que trabalham agilidade e coordenação motora com movimentos de variação de direção.

Esporte com responsabilidade

Nós sabemos que praticar atividade física é importante para evitar sedentarismo e doenças crônicas, como diabetes e hipertensão, por exemplo. Mas também é fundamental ter a consciência de que não basta sair correndo por aí ou praticando alguma modalidade sem os devidos cuidados e orientações profissionais.

O primeiro passo para quem deseja começar uma atividade física é a avaliação pré-participação, que tem o objetivo de identificar possíveis fatores de risco para doenças cardiovasculares, assim como alterações osteoarticulares. “Essa avaliação é feita de forma global e tem grande importância para a saúde do indivíduo”, explica o médico do esporte, Diego Alves Dias, acrescentando que a má prática de exercícios físicos pode desencadear sérios problemas como rupturas de tendões, inflamações articulares, lesões musculares, além do risco de infarto agudo do miocárdio, acidente vascular encefálico ou descompensações de doenças metabólicas.

“A medicina preventiva tem uma grande importância e a população precisa cada vez mais aderir a esse tipo de cuidado para evitar danos à saúde. Caso o paciente sofra alguma lesão, o indicado é iniciar um tratamento específico o mais rápido possível, pois esse acompanhamento pode ser longo e demandar um cuidado multidisciplinar para a reabilitação”, afirma o especialista.

Além da avaliação prévia, Diego também chama a atenção para alguns fatores, como a importância do uso de roupas leves e próprias para a prática esportiva, uma boa hidratação e alimentação adequada antes das atividades. “A temperatura e a umidade da região também devem ser observadas, pois essas situações influenciam muito no nível de esforço despendido”, destaca.

Para aqueles que já são adeptos do exercício há algum tempo, a recomendação profissional é tomar cuidado com cargas e repetições em excesso. “Essas ações sobrecarregam articulações, grupos musculares, ligamentos e tendões. A prática de esportes de alta intensidade em longo prazo também pode desenvolver alterações cardíacas e acarretar consequências futuras para a saúde, por isso o acompanhamento profissional é sempre tão importante”, finaliza o médico.