O tempo para fazer uma boa refeição está cada vez mais comprometido pela correria do dia a dia. Assim, não é raro encontrar pessoas reclamando de algum tipo de incômodo no estômago ou intestino, seja pelo consumo exagerado de alguns alimentos ou por maus hábitos na hora de comer. De acordo com a nutricionista Ellen D’arc, da Bio Mundo, esses comportamentos podem prejudicar a saúde a curto e a longo prazo.

“A nutrição caracteriza uma sequência de processos do organismo que englobam: ingestão do alimento, digestão, absorção dos nutrientes, metabolismo e excreção. O sistema digestivo é complexo. Cada órgão funciona para extrair a maior quantidade de nutrientes do alimento para o corpo. Por esse motivo, é importante manter longe alguns maus hábitos na hora das refeições, como comer rápido, não mastigar direito, pular refeições, entre outros”, comenta a especialista.

Aproveite a refeição

Se tornou comum “engolir” os alimentos para conseguir cumprir com toda a agenda do dia. Por isso, algumas pessoas desenvolvem o péssimo hábito de mastigar pouco e comer rápido demais. Essas práticas podem causar distensão abdominal, que é o aumento no volume do abdômen, resultado do acúmulo de gases ou líquidos no intestino. “A mastigação é importante para facilitar a ação de enzimas digestivas do estômago e pâncreas. Após a refeição, a circulação sanguínea diminui no cérebro e nas outras partes do corpo, concentrando-se no estômago, para a digestão e absorção dos alimentos”, explica a nutricionista.

Como se já não fosse preocupante comer rápido demais, em alguns casos, a própria refeição é deixada de lado. De acordo com Ellen, existem grandes problemas em ficar um longo período sem se alimentar. O primeiro é que pode agravar os sintomas de incômodo de pessoas, que já possuem problemas digestivos, como gastrite e úlceras. Pular refeições pode provocar hipoglicemia (falta de açúcar no sangue). O resultado se traduz em fraqueza, tontura e mal-estar.

Outro problema é ficar refém de uma fome repentina e exagerar na refeição. O excesso vai sobrecarregar o sistema digestivo e aumentar a sensação de desconforto. A recomendação é se alimentar em intervalos razoáveis, apostando na variedade e na qualidade dos alimentos.

Beba muita água

Manter o corpo hidratado é essencial para o funcionamento de todo o organismo e isso não é diferente para o sistema digestivo. A água ajuda no funcionamento intestinal, na digestão e pode evitar complicações, como gases, diarreia, barriga inchada e a prisão de ventre. “Ela tem o importante papel de auxiliar na dissolução e absorção dos nutrientes dos alimentos e a regular o intestino”, explica.

Mas apesar da hidratação ser essencial para o organismo, ingerir líquidos durante as refeições não é recomendado e pode prejudicar a digestão e a absorção correta de nutrientes, que pode gerar problemas estomacais, como gases e flatulências. “Esse hábito vai dificultar a absorção de nutrientes, por deixar o suco gástrico menos eficaz. O ideal é beber uns 30 minutos antes ou depois de consumir o alimento”, alerta a nutricionista.   

Cuidado com o consumo exagerado 

As frituras e os carboidratos podem ser um grande problema para o sistema digestivo. Por terem uma digestão mais lenta, causam a sensação de incômodo no estômago e intestino. A nutricionista orienta consumir esses alimentos moderadamente e optar pelo uso dos integrais, que possuem grande concentração de fibras e vão auxiliar na digestão. Caso o incômodo digestivo continue, mesmo com a correção desses maus hábitos, Ellen orienta a procura de um especialista da área.

“O profissional da saúde vai saber identificar a real causa dos problemas digestivos, seja algum tipo de intolerância alimentar ou outra doença. Sabemos que mudar qualquer hábito pode parecer trabalhoso, mas buscar uma alimentação saudável e adequada vai resultar em uma melhoria na qualidade de vida e evitar possíveis doenças”, conclui.