Você sabia que no Brasil pesquisas apontam que de 33% a 35% da população adulta seja hipertensa? Em pessoas acima dos 60 anos essa taxa pode chegar a 65%. O mais grave é que cerca de 30% a 50% dos brasileiros desconhecem o diagnóstico do problema. Os números são apresentados pelo o médico cardiologista, Frederico Nacruth, PhD em Medicina Intensiva. O especialista ainda destaca que a doença pode agravar o quadro de pacientes com Covid-19, principalmente se estiver associada a comorbidades, como diabetes e obesidade, e se o paciente for maior de 60 anos. “Por isso a necessidade de imunização imediata contra a doença”, sinaliza.

O Dia Mundial da Hipertensão, considerada a principal doença cardiovascular devido à sua alta prevalência pela Sociedade Brasileira de Hipertensão (SBH), 17 de maio, é promovido mundialmente pela World Hypertension League. A data busca conscientizar a população sobre a hipertensão arterial (HTA) em toda a população no mundo, auxiliando na orientação aos hábitos saudáveis.

Desenvolvimento da hipertensão
Fatores genéticos e os socioambientais, entre os quais a obesidade tem sido um dos mais prevalentes, estão associados ao desenvolvimento da doença. “O excesso de gordura, particularmente a visceral, é um importante fator de risco para o aumento da pressão arterial”, aponta Frederico.

Das medidas de prevenção, as principais incluem manter um peso adequado, uma dieta adequada, com menor quantidade de sal – 5 g de sal por dia ou 2 g de sódio –, atividade física regular e controle do estresse.

90% dos hipertensos não sentem sintomas 
Segundo o cardiologista, cerca de 90% dos indivíduos hipertensos não vão sentir nenhum sintoma, o diagnóstico deve ser feito pela aferição da pressão. “Alguns desses 10% podem ter sintomas como dor na parte posterior da cabeça (nuca), micções na madrugada (noctúria), tontura, sangramento no nariz e outras manifestações que podem ser alertas das complicações da hipertensão, principalmente cardíaca, como falta de ar, dor no peito”, explica.

Mudanças Hábitos para evitar a hipertensão
Manter um peso adequado, uma dieta adequada, com menor quantidade de sal – 5 g de sal por dia ou 2 g de sódio –, atividade física regular e controle do estresse – a fórmula parece difícil, porém necessária para a construção de um organismo saudável.

Controle e tratamento
Após diagnóstico, a maioria dos indivíduos iniciam o tratamento por medicação de uso crônico. “Nesse ponto, há uma gama enorme de medicamentos, inclusive a maioria das medicações que são usadas para hipertensão está disponível na rede de forma gratuita, então, dá para controlar a pressão de forma bem adequada com as medicações que o mercado dispõe, sabendo usar corretamente”, afirma Frederico Nacruth.