No Brasil, pelo menos 2,5 milhões de pessoas usam lentes de contato, segundo estimativa da Sociedade Brasileira de Lentes de Contato. Alguns cuidados são necessários para conservar e higienizar as lentes. Confira a seguir sete erros comuns dos usuários de lentes.

1. Uso sem orientação médica:

A indicação de um oftalmologista é imprescindível. O item deve ser personalizado e adequado às necessidades de cada um. Nunca compre esse tipo de produto pela internet, em feiras ou camelôs.

2. Limpeza:

Soro fisiológico, água corrente e, pior, saliva, não têm as propriedades necessárias para higienizar as lentes. Há no mercado produtos específicos para lavá-las e que proporcionam limpeza e conservação de maneira adequada. Esses cuidados valem para as lentes de contato gelatinosas e rígidas.

3. Sono:

Dormir com as lentes de contato é o principal fator de risco para úlcera de córnea. Durante o sono, a córnea é nutrida pela pálpebra. A presença da lente dificulta a nutrição e oxigenação da córnea, causando pequenas lesões que podem infeccionar.

4. Tempo de uso:

O ideal é remover as lentes ao chegar em casa. A córnea depende de oxigênio e nutrientes fornecidos pelas pálpebras e pela lágrima. Por isso, ficar parte do dia sem as lentes é fundamental.

5. Uso inadequado de colírio:

Não utilize nenhum tipo de colírio sem a orientação de um oftalmologista. O uso inadequado de algumas substâncias pode causar problemas oculares sérios e muitas vezes irreversíveis, inclusive cegueira. Fórmulas caseiras não devem ser utilizadas como colírio.
 
6. Ar-condicionado:

Ambientes com baixa umidade do ar provocam aumento da evaporação da lágrima e podem causar sensação de olho seco em usuários de lentes de contato. Tenha à mão sempre um lubrificante recomendado pelo seu oftalmologista.

7. Troca:

As caixas de lentes de contato devem ser esterilizadas uma vez ao mês e trocadas a cada seis meses. Além disso, lave bem as mãos com água e sabão antes de colocar e tirar as lentes. Evite secar as mãos em toalhas de tecido.