Provavelmente você já sentiu algum tipo de incômodo na coluna. Problemas nessa região têm se tornado um mal na sociedade atual. Segundo um levantamento da Organização Mundial da Saúde (OMS), 80% da população mundial teve ou terá dor na coluna vertebral pelo menos em algum momento da vida. A dor lombar é a segunda maior causa de visita de pacientes aos consultórios médicos, perdendo apenas para a dor de cabeça.
 
Na fase adulta, os problemas na coluna surgem com mais frequência devido, muitas vezes, à má postura no dia a dia, ao sedentarismo provocado pelo mundo moderno, às atividades físicas feitas de maneira errada e sem orientação.  “A postura incorreta durante o sono, o envelhecimento natural do organismo e o excesso de peso também são outros motivos de dores”, explica o médico e presidente da Sociedade Brasileira de Ortopedia e Traumatologia, regional Goiás (SBOT-GO), Adriano Esperidião.
 
Entre as doenças mais comuns nessa fase, estão: dor lombar por contratura muscular devido à má postura, ao sedentarismo ou má execução de exercícios físicos; hérnia de disco cervical, dorsal e lombar – sendo a última a mais frequente; e a artrose, que é a degeneração ou o desgaste da articulação vertebral. O especialista ressalta, contudo, que não existe uma idade específica para que alguém saudável comece a sentir esses incômodos. Para diminuir os riscos de doenças da coluna durante a fase adulta, a orientação é que as pessoas mudem hábitos ruins, tenham uma boa alimentação, pratiquem atividade física regularmente, tenham boa postura no dia a dia e uma boa noite de sono.
 
Consequências da má postura 

De acordo com a Secretaria de Previdência do Ministério da Fazenda, as dores nas costas afastaram mais de 83,8 mil pessoas dos postos de trabalho em 2017, ficando em segundo lugar no ranking das doenças mais frequentes entre os auxílios-doença concedidos pelo INSS. Mas diante desse cenário, o que muita gente ainda não entende é que o problema pode estar associado à má postura.

O ortopedista e subespecialista em cirurgia de coluna minimamente invasiva, Rodrigo Souza Lima, explica que o erro postural é uma prática bastante comum dos brasileiros. "Um dos primeiros sintomas que o paciente apresenta é a dor, aquele incômodo nas costas presente durante o dia e principalmente à noite, ao final do expediente”, comenta o médico, alertando, ainda, que se a pessoa não se atentar ao problema, pode apresentar alterações estéticas e até mesmo estruturais na coluna vertebral.

Possíveis causas

O problema pode estar relacionado à maneira como nos sentamos durante as horas de trabalho ou até mesmo pelo mau uso do aparelho celular. Para o especialista, a primeira medida a ser adotada a fim de evitar erros posturais é ter uma percepção e autocrítica na hora das atividades. Ele também acrescenta que é fundamental praticar exercícios físicos e alongamento para melhorar a flexibilidade do corpo e evitar lesões.

A seguir, o médico faz três recomendações importantes para evitar as dores: 

1 - Quando a pessoa está de pé é preciso manter a coluna reta para evitar a cifose torácica, o que chamamos de "corcunda" e, consequentemente, sua projeção para a frente.

2 - Se estiver sentada, o peso do corpo deve ser distribuído ao longo do eixo da coluna, mantendo sempre as costas retas e apoiadas no encosto da cadeira.

3 - Ao deitar, é importante que a altura do travesseiro mantenha a cabeça na mesma linha do tronco, evitando que a pessoa fique mais alta ou mais baixa que as costas.