“Minhas joias resultam de amor, dedicação e muita pesquisa.” Assim é definida a arte da empresária e joalheira Gabriela Tannus. A paulista montou um ateliê há quatro anos em Goiânia e de lá pra cá se especializou em joias para noivas, madrinhas, mães de noivos e formandas. “Não busco as peças em outras cidades ou fora do Brasil. Minha grande alegria é confeccionar a joia junto com a cliente, gosto de desenhar e ver minha arte em evidência.” 

Gabriela restringe seu trabalho apenas às noivinhas do cerrado, mas as peças são enviadas para todo o território nacional. “Muitas noivas de fora de Goiás me procuram para receber atendimento personalizado. Quando elas não podem vir ao ateliê, fazemos o atendimento por videoconferência.” Além do Brasil, Gabriela conta que possui expertise em joias exportadas para noivas da França, Suíça, Alemanha e Dubai. 

O trabalho de Gabriela começou como uma forma de presentear uma amiga que ia se casar. A joalheira produziu a coroa da noiva e as fotos do casamento foram publicadas no Orkut, “em pouco tempo outras noivinhas começaram a procurar pelo meu trabalho.” Ela conta que as clientes ainda são resistentes quando o assunto é produzir uma joia sob medida. “As noivas conseguem visualizar o vestido ainda no papel, mas quando se fala de joia, a dificuldade é maior.” Segundo a empresária, a cada 30 mulheres que procuram pelos acessórios, apenas uma embarca no processo de criação. “Mesmo com a alta resistência, vale muito ter uma joia feita para você, exclusiva. Se a cliente não gostar da peça, permito que ela escolha qualquer uma do acervo, independente do valor.” 

Personalidade prevalece

A joalheira explica que o vestido da noiva direciona qual joia será utilizada no dia do “sim”.  Normalmente, a noiva se casa com coroa e brincos, dispensando colar. Gabriela aponta ainda que é fundamental preservar o estilo da mulher. “Existem noivas mais clássicas, que preferem artigos delicados. Mas também temos noivinhas com a orelha cheia de piercings. Por que essa noiva tem que tirar os brincos? Nada justifica que no dia do casamento ela não mantenha a própria personalidade.”

Para todos os bolsos e gostos 

Gabriela afirma que outro diferencial do ateliê é ter valores acessíveis, tanto para vendas quanto para locações. O trabalho é feito com ouro, ouro branco, pérolas e banho de prata. “Muita gente me pergunta sobre o tempo de antecedência para definir a joia. Tem noivas que me procuram com um ano e outras deixam para se decidir na semana. A minha recomendação é que isso esteja resolvido entre três e quatro meses antes do casamento.” 

Nova coleção

A joalheira se prepara para lançar uma nova coleção de joias, priorizando a beleza e a leveza. “Depois de muito estudo e pesquisa, estamos desenvolvendo uma coleção imponente e leve.” Segundo Gabriela, como a noiva fica com a coroa na cabeça por muitas horas, é fundamental que a peça não a incomode.