Conforto em
primeiro lugar

O ambiente é a sua casa, mas o trabalho continua. Entenda quais peças te deixam confortável e não deixe que aquela roupa que aperta ou que esquente muito atrapalhe o seu desempenho. “Uma blusa que, quando você se mexe, sai do lugar ou deixa o sutiã à mostra já tira a sua concentração”, exemplifica Alessandra. Aproveite o momento para investir também em calças e shorts mais confortáveis para
o dia a dia.

Mantendo a sua imagem

A consultora reitera que a coerência entre a imagem que você passa no ambiente profissional deve permanecer, independente do contexto. “Você está em casa, mas, quando for conversar por vídeo, quer continuar demonstrando seu profissionalismo e competência e deve estar vestida de forma adequada”, diz. Se atentar para o caimento da roupa escolhida também é importante segundo Alessandra. “Aquela camisa que, ao se sentar, o espaço entre os botões se abre não vai ser a melhor opção”, brinca.

Invista em peças-curinga

A transformação de um look mais despojado para um mais formal pode acontecer em um piscar de olhos com as sobreposições. “A camisa branca, o blazer preto ou off-white salvam na hora de iniciar uma reunião. Seja um vestido ou blusa de alcinha, um macacão ou macaquinho: é só colocar a camisa ou o blazer por cima que dá um ar de formalidade”, recomenda Michele.

Tecidos mais leves

Além de serem aliados dos dias mais quentes, os tecidos mais leves são mais fáceis de lavar e passar. “Algumas pessoas acham que o poliéster é um tecido muito grosso e quente, mas há tecnologias que fazem crepes de poliéster com ótimos caimentos e que não esquentam”, explica Alessandra Leão. Optar pelos tecidos de fácil manutenção também impedem que a roupa amasse ao longo do dia.

Pernas livres

Aproveitar a chance de trabalhar com aquele vestido mais curto ou de shorts mais confortáveis é uma dica que as duas profissionais dão. No entanto, em dias de reuniões por vídeo é melhor não arriscar aparecer de pijama da cintura para baixo.