Se a moda já havia sido desafiada em 2019, que jogou na fogueira a elegância vinculada à nobreza espalhafatosa e os micos das marcas, em 2020 teve de lidar com o deserto das ruas, o mau humor das pessoas isoladas e a pergunta incômoda cuja resposta ainda tenta construir: para que ela serve mesmo? O motor deste ano girou em torno dessa questão porque, de todas os pro...

Você se interessou por esta matéria?

Assinar O Popular

Você terá acesso ilimitado
a todo o conteúdo
VER PLANOS
Os comentários publicados aqui não representam a opinião do jornal e são de total responsabilidade de seus autores.

Comentários