Com um olhar para além da moda, com as novidades e tendências para o outono-inverno 2020, e uma construção de longo prazo, a 48ª edição do São Paulo Fashion Week (SPFW), realizada semana passada, demonstrou querer instigar e promover discussões sobre os novos modos de criar e fazer. “A São Paulo Fashion Week celebra a potência da criação como expressão viva e afetiva das pessoas em sintonia com o tempo presente”, afirma Paulo Borges, diretor da semana de moda.

Para a influenciadora digital goiana Aline Veloso, que marcou presença no evento, o que foi visto nas passarelas nessa edição aponta uma tendência nítida de tomada de consciência em relação ao consumo. “Presenciei isso recentemente na Paris Fashion Week e vi um reforço na São Paulo Fashion Week. É preciso pensar em uma cadeia sustentável, pensar em novas alternativas de criação em toda a cadeia produtiva. Percebemos também essas mesmas manifestações sociais no campo da moda, mas ainda é algo sem respostas. No entanto, a conscientização se fez presente. Por isso, mais do que os desfiles e tendências de moda propriamente ditos, essa edição do evento me cativou por seguir a linha de moda consciente. Chegou a hora de nós atuarmos de forma efetiva e positiva no zeitgeist”, diz.

Dessa vez, a temporada abriu com desfile da Ellus no Farol Santander, no Centro Histórico de São Paulo. O calendário trouxe também as estreias das marcas Isaac Silva e Angela Brito. Ao todo, foram 26 marcas lançando suas coleções. Com 24 anos de história, a SPFW é considerado a maior plataforma de divulgação de moda, design e criatividade do Hemisfério Sul. Reconhecido pela ONU como um case mundial, o evento é um dos mais completos exemplos de como a economia criativa pode ser usada como estratégia de desenvolvimento para a cidade e o País, com investimentos que superam R$ 1 bilhão.

O que esperar?

Acabamos de entrar na temporada primavera-verão 2020, mas a SPFW deu start para o outono-inverno 2020. E, pelo que foi visto nas passarelas, dá para apostar em algumas tendências por agora. “O preto e o branco reinaram em absoluto. Mas também percebemos cores como o pink, vermelho e o azul, além de muitos tons terrosos. Estampas da natureza, como flores e folhas, marcaram presença. A alfaiataria e tecidos retos e fluidos também estiveram presentes em todos os desfiles. Há uma tendência de criações atemporais, não demarcadas por estações, o que de certa forma indica também um consumo consciente”, conta a influenciadora digital Aline Veloso.

Camisa branca

Essa peça tem aparecido nas passarelas internacionais e nacionais das diversas formas: esportiva, romântica e social. No SPFW, foi vista nos desfiles da Ellus, da Lilly Sarti e do Reinaldo Lourenço.

Cor

O rosa brilhou em todos os seus tons. Em praticamente todos os desfiles foram vistos pontos da cor nas produções. A marca Lilly Sarti, por exemplo, apostou na mistura do militar com o rosa.

Para brilhar

Reinaldo Lourenço, Modem e Lilly Sarti foram alguns que mostraram que os vestidos com brilho devem aparecer bastante no outono-inverno 2020. Se vier acompanhado de babado, melhor ainda.

Alfaiataria

Estilo certo no guarda-roupa feminino, a cada estação a alfaiataria chega renovada. A peça que mais apareceu foi o blazer, que vem para compor sobreposições por cima de saias mais largas e vestidos sobre calças.

Marcas de destaque

Em quatro dias de evento, a São Paulo Fashion Week levou para o Parque do Ibirapuera 26 marcas e, claro, algumas se destacaram. “A aposta soft punk apresentada por Reinaldo Lourenço foi muito interessante. Ele conseguiu misturar tecidos leves e babados com o couro, tachas e boinas. Fabiana Milazzo apresentou uma coleção lúdica, que teletransportou os presentes para uma casa de campo com tecidos fluidos, organzas, maxitricôs, saias e galochas. Tanto ela quanto a Patbo apresentaram looks para uma mulher feminina, porém livre, fato que também é tendência. Também amei a pegada futurista e minimalista de Glória Coelho”, destaca a influenciadora digital Aline Veloso.

Beleza

Mas nem só de roupas vive a São Paulo Fashion Week. As maquiagens desfiladas também chamam a atenção. Tons de rosa, brilho e até flores reais foram algumas das apostas de nomes como PatBo, Korshi e Angela Brito.

Cores vibrantes

Seja no delineado, na sombra ou no batom, as cores estão em alta. A sombra rosa, em tons mais suaves ou vibrantes, como o pink, deve aparecer nas makes por um bom tempo.

Brilho, por favor

A maquiagem com brilho já é sucesso e deve continuar em alta. Nos desfiles, o brilho foi visto em pontos espalhados pelo rosto dos modelos, incluindo perto das sobrancelhas e no canto interno dos olhos.

Flores?

Em sua estreia nas passarelas da São Paulo Fashion Week, a estilista Angela Brito apresentou flores reais na maquiagem das modelos. As pétalas escolhidas funcionaram como verdadeiros pontos de cor no visual. Será que pega?