Ano novo, vida nova, não é mesmo? Isso, claro, inclui novos hábitos. Segundo Reinaldo Domingos, presidente da Associação Brasileira de Educadores Financeiros, essas mudanças devem se estender também para a vida financeira. “Colocar no papel as despesas previstas para 2019 é o primeiro passo para não se endividar ao longo do ano”, orienta. 

Ainda conforme o especialista, para quem não tem o hábito de planejar o uso do dinheiro, o momento é agora. "A virada do ano é um marco na mudança comportamental”, diz. Nesses casos, Reinaldo considera válido o uso de planilhas para que as informações possam ser acessadas ao longo do ano com facilidade.

O educador financeira lista o passo a passo para um bom planejamento financeiro. Confira:

1- Coloque no papel

Coloque no papel os compromissos dos próximos 12 meses, como datas comemorativas, pagamento de impostos (IPVA e IPTU), matrícula e material escolar etc. Registre o valor previsto a ser gasto com cada uma dessas atividades. Claro que os números podem mudar no meio do caminho, mas é importante já ter uma ideia para se programar.

2- Anote as parcelas

Caso tenha parcelas de compras feitas que se estenderão por 2019, elas também devem estar registradas nesse planejamento para fazer parte do orçamento financeiro dos meses seguintes.

3- Fale com a família

Sente e converse com todos os integrantes da família, inclusive as crianças. Fale sobre os sonhos individuais e coletivos. Esse é um passo muito importante para mudar a forma como a família lida com o dinheiro, passando a entender que ele é um meio para realizar sonhos. Viajar, trocar de carro, casa ou sair das dívidas são objetivos a serem considerados.

4- Pesquise os sonhos

Procure saber quanto custam realizar os sonhos e faça cotações até achar a melhor possibilidade de preços. Assim, você estará tomando os primeiros passos para conquistar os objetivos, seus e de sua família. Isso é o planejamento: agir com antecedência.

5- Poupe dinheiro

Guarde dinheiro para cada sonho simultaneamente e escolha o melhor investimento de acordo com o prazo de realização de cada um. Para os de curto prazo (até um ano) a sugestão é a caderneta de poupança. Para os de médio prazo (de um a dez anos), as sugestões são no CDB, Tesouro Direto, fundos de investimento. Já de longo prazo (acima de dez anos), Tesouro Direto, previdência privada e ações são boas opções.

6- Reduza despesas

Façam um diagnóstico financeiro, ou seja, anotem tudo o que for gasto ao longo de um mês, separando as despesas por categorias (energia elétrica, água, alimentação, combustível, telefone etc.). Assim, você vai saber onde exatamente pode diminuir ou até mesmo cortar. Acreditem: todos nós temos, pelo menos, 20% de desperdício ou exagero nas contas. Assim também saberá como está gastando cada centavo do dinheiro.

7- Mude o orçamento mensal

Mude a forma como elabora o orçamento financeiro mensal. A partir de agora, calcule da seguinte maneira: ganho - sonhos - despesas. Isto é, priorize os sonhos e não as despesas. Depois que tirar o valor destinado aos sonhos, com o que sobrar, adeque o seu padrão de vida.