Em tempos em que as pessoas vivem cada vez mais o mundo virtual, mostrar a realidade e incentivar o amor ao próximo chega a ser necessário. Talvez por isso a digital influencer Rafaella Kalimann, de 26 anos, tenha conquistado mais de 2,5 milhões de seguidores. Mineira com título de cidadã goiana, Rafa, como é mais conhecida pelos fãs, saiu de casa cedo para correr atrás dos sonhos. “Morei em São Paulo dos 14 aos 20 anos para modelar. Esses seis anos foram de muita luta e dificuldades. Eu venho de uma família muito humilde e é difícil segurar a onda. Então, aos 20, disse para mim mesma: não quero mais viver isso. Vou dar uma pausa em tudo e colocar minha cabeça no lugar. Vou pesar se é isso que quero, se estou fazendo a coisa certa. Acho que quando estamos tentando tanto e não está dando certo, é hora de parar e se perguntar se estamos realmente fazendo do jeito certo para alcançar aquilo que se quer”, conta.

De volta à Uberlândia, onde os pais moravam, a influenciadora começou a estudar psicologia. Foi na faculdade que ela conheceu o Instagram e criou sua conta. “Comecei a publicar por hobby mesmo. Aproveitava para matar a saudade que sentia de modelar. Era um motivo para tirar foto e alguém ver. Na época, meu melhor amigo, que é o meu fotógrafo até hoje, estava começando também. Ele tirava as minhas fotos e eu postava. As coisas começaram a acontecer e percebi que tinha cada vez mais seguidores.”

Enquanto as amigas tinham cerca de 300 seguidores, Rafa tinha 30 mil. Para a época, o número era grande. Mas apenas quando foi contratadapor uma loja para o primeiro trabalho, ela começou a encarar a rede social como um negócio. “Meu contratante abriu meus olhos, dizendo que eu podia ganhar dinheiro com isso. Comecei a estudar como faria aquilo virar um negócio. Porque não é só publicar, você tem que entender como vai atingir as marcas, o público daquelas marcas. Se você tem 10 milhões de seguidores e seu público não consome aquilo que você posta, não adianta a marca investir em você”, explica.

A influencer, que hoje se divide entre Goiânia e São Paulo, lembra que fez vários trabalhos de graça com o objetivo de conquistar lojistas e seus públicos. “Eu me lembro que dos 100 mil seguidores até 1 milhão foi muito rápido. Mas até atingir os 100 mil demorou muito, exigindo muito trabalho.”

Fazer o bem

Embaixadora da ONG Missão África, Rafa está sempre envolvida em projetos sociais. No ano passado, inclusive, uma foto feita pela influencer viralizou na internet e resultou na parceria do time de futebol Santos com a ONG. Na imagem feita em Moçambique, a influenciadora registrou o pequeno João Chico, de 6 anos, usando uma camiseta velha do Santos e segurando uma bola de trapos. Rafa acredita que fazer e incentivar o bem é uma verdadeira missão na sua vida.

“Deus só me deu essa janela e esse alcance para que eu pudesse fazer isso. Esse é o propósito dele na minha vida. O que eu colho hoje falando sobre moda e outros assuntos é apenas para o sustento, pelo meu trabalho. Mas sei que o propósito de Deus na minha vida foi com as redes sociais. Falo isso porque quando comecei a ver o Instagram como opção de trabalho, foi exatamente quando fui para a África pela primeira vez”, relembra.

Na época, a jovem estava com problemas emocionais, de saúde e financeiros. Para fazer a viagem com a ONG, ela precisava de R$6 mil, mas na conta tinha apenas R$12. Para conseguir ir, ela vendeu tudo o que tinha, incluindo suas roupas. “Quando voltei, conversei com Deus. Disse que eu queria voltar sempre à África e que continuaria fazendo tudo o que podia para ajudar aquelas pessoas se ele me honrasse com o meu trabalho. E eu estava falando de qualquer trabalho, porque não estava conseguindo nenhum. O importante era trabalhar. Então, meu Instagram teve um ‘boom’ acelerado. Eu não estava esperando. Ali, entendi que esse era o meu propósito, que aquilo estava acontecendo para que eu pudesse ajudar pessoas.”

Inovação

Com uma nova assessoria, a influenciadora começou a desenhar os seus objetivos e dimensionar seu alcance. Claro que mesmo antes disso a influencer já investia em estratégias para conquistar cada vez mais fãs. “Eu não paro. Sempre crio coisas novas para me manter bem no mercado. Se fico fazendo a mesma coisa por duas semanas, já penso que as pessoas estão enjoadas e começo a fazer coisas diferentes, até imperceptíveis para quem está me acompanhando. Às vezes, mudo a minha linguagem ou meu cabelo, faço uma viagem, uma programação ou uma festa diferente”, diz.

Outra coisa que a influenciadora procura sempre fazer é mostrar a realidade. “A Rafa das redes sociais é igual a Rafa da vida real. Se eu não estou bem, não consigo fingir que estou. As pessoas percebem. Então, é melhor dizer logo que não estou legal, mostrar que eu sou como todo mundo”. Quando perguntada se já conseguiu chegar onde queria, Rafa é categórica. “Ainda não. Mas também não sei falar onde quero chegar. Porque hoje vivo algo que não sonhava viver e que me pegou de surpresa. Eu sou muito feliz do jeito que estou, mas sei que tem muito mais para vir e eu espero muito esse muito mais”, finaliza.