Estar em um relacionamento amoroso é importante? Segundo Camilla Couto, orientadora emocional, pode ser muito. “Vivemos para nos relacionar e é indiscutível o quanto aprendemos e crescemos por meio dos relacionamentos. Mas, quando fazemos de tudo para estar em uma relação de casal ou para mantê-la a qualquer custo, podemos acabar nos anulando. E aí, ao invés de somar à nossa vida e ao nosso desenvolvimento pessoal, a relação pode nos prejudicar e diminuir”, diz.

A orientadora pondera que, se a pessoa se entrega demais a uma relação em que não há equilíbrio, em vez de brilhar ainda mais na presença do outro, acontece o oposto: se ofusca o próprio brilho. “Anular-se constantemente na tentativa de fazer um relacionamento funcionar é como viver morrendo de fome – de atenção, de afeto, da própria essência. E quando nos perdemos de nós mesmos, qualquer relacionamento perde o sentido”, enfatiza.

Segundo a profissional, ainda hoje há muitas pessoas que acreditam que é preciso estar numa relação amorosa para se sentirem completas e valorizadas. Mas a verdade é que pode ser o contrário. "Se o relacionamento não for saudável, em vez de agregar e complementar, ele nos suga, diminui e prejudica. E aí é que mora o grande problema, pois os custos para estar numa relação assim são altos demais. Ainda há quem aceite se afastar dos próprios valores, sonhos e até de si mesmo para estar num relacionamento a dois. As consequências desse tipo de comportamento podem ser bastante prejudiciais a médio e longo prazos." 

Camilla conta que é por isso que muitas mulheres procuram ajuda para o relacionamento, quando estão, na verdade, sedentas de si mesmas. "Tendemos a achar que o problema e a causa da nossa infelicidade está na relação ruim, no outro, na falta de atenção, na vida corrida, na ausência de carinhos e elogios. Só que, ao olharmos bem, às vezes descobrimos que a falta que sentimos, a origem do que vemos como problema, está dentro de nós. Ao escolhermos nos anular e nos afastar da nossa essência, sentimos falta de nós mesmos. Nos diminuímos demais para caber numa realidade que não nos agrega e, por isso, acabamos nos percebendo pequenos, sem futuro, sem sonhos, sem amor. E, principalmente, sem amor-próprio", explica.

A especialista acredita que não há melhor forma de evoluir senão através dos relacionamentos. No entanto, a necessidade de estar numa relação não pode ser maior do que o olhar sobre si mesmo e o próprio bem-estar. "Temos que aceitar a realidade de que, para redescobrir quem realmente somos, muitas vezes temos que estar sozinhos. Se te apaga, se te faz sofrer, se te apequena, não te faz brilhar é quando é o momento. E, se não te faz brilhar, qual o sentido da relação? Gente é para brilhar, não para se apagar por amor."

Camilla finaliza com um lembrete: o de que nem todo relacionamento que não anda bem são ruins. "Relacionamentos são feitos de fases e, definitivamente, não são um mar de rosas. No entanto, fazer um balanço e nos perceber dentro da relação é muito importante e nos dá um norte. Como você tem se sentindo na relação? Como tem agido? Você tem sido quem realmente é ou tem escolhido se anular? Por quê? Talvez, a mudança de postura precise partir de você. Muitas vezes, não é o outro que te diminui, mas você quem esqueceu da sua força e de quem é de verdade. Resgate sua força interior, mostre seu brilho. Relacione-se! Mas que seja para somar ainda mais amor ao que você já tem aí dentro. Jamais subtrair”.