Não foram apenas as relações humanas que mudaram com a pandemia: o olhar para a casa também. Afinal, depois de meses de isolamento social, convivendo majoritariamente com os familiares no mesmo espaço, a busca por mudanças em casa cresceu. “Clientes antigos pediram algumas alterações em seus imóveis, expressando o desejo de novas finalidades nos ambientes”, revela arquiteta Cristiane Schiavoni. Segundo a percepção da profissional, passar um tempo maior em seus lares aflorou novos desejos, demandas e até hobbies, que por sua vez precisam de locais adequados e adaptados para essas atividades.

Entre as solicitações recentes que recebeu, Cristiane relata que um casal entrou no mundo dos vinhos por meio de cursos on-line que começaram a participar durante a quarentena. “Embora satisfeitos com a casa deles, a requisição agora é para trabalharmos uma adega com capacidade para 100 garrafas”, diz a arquiteta. Já outra cliente a procurou para repaginar a sala de TV com um projeto completo de áudio e vídeo – incluindo novos equipamentos eletrônicos –, marcenaria e um sofá mais adequado para passar horas nas maratonas de séries e filmes. “As pessoas redescobriram o lar e estão dispostas a investir em bem-estar e um cenário propício ao lazer de toda família”, completa Cristiane.

Confira algumas inspirações para os ambientes queridinhos no durante e pós-pandemia.

 

Espaço dedicado às crianças

Passando tanto tempo em casa, uma brinquedoteca é fundamental para os pequenos que não podem sair para se divertir. Primeiramente, serve para que as crianças tenham o seu próprio universo para brincarem com liberdade. Por outro lado, evita-se aquela sensação de bagunça tão conhecida de tantas famílias, com brinquedos espalhados por vários lugares.

Para sua execução, é primordial entender a idade daqueles que usarão o espaço, bem como conhecer o tipo de brinquedo para que o projeto propicie os locais adequados para as atividades – e também para guardar. A arquiteta Cristiane Schiavoni enfatiza que no ambiente a criança deve ter acesso a tudo. Dessa forma, o método montessoriano escolhido para o seu projeto responde ao intuito de garantir a independência das crianças. “Tendo o cenário mais facilitado, os pais podem ensinar e incentivar que os filhos guardem as peças depois da diversão. Um ato benéfico para ambos”, conta a profissional.

 

Descontração na varanda

Hoje em dia, a varanda tornou-se o cômodo que comporta vários sonhos em um só ambiente. Nesse projeto assinado pela arquiteta Pati Cillo, os 15m² foram bem distribuídos para a disposição de uma churrasqueira, um pequeno estar com TV e uma ilha com adega. “Mesmo com tantas funções, a varanda transmite leveza por meio da disposição e os tons de azul”, destaca Pati. O piso em deck também contribui com a sensações de aconchego e descontração.

Nas varandas gourmets, a dica para tirar máximo proveito do ambiente é trazer móveis confortáveis e apostar no fechamento de vidro, recurso que promove a privacidade, bem-estar contra o frio, chuva e a incidência solar que pode danificar os móveis. Outra solução é nivelar os pisos da sala de estar com a varanda, saída que evita acidentes e deixa os espaços mais funcionais. “Sem dúvida, essa decisão é um ponto de partida para garantir máximo proveito do ambiente externo”, diz Pati.

 

Temos um salão de jogos

E quem disse que a varanda não pode ser um local de diversão? O projeto assinado por Ieda Korman aproveitou a amplitude para incluir uma mesa de sinuca. O fechamento de vidro permite que moradores e convidados sigam em suas partidas, no decorrer da madrugada, em segurança e sem preocupação com as intempéries climáticas. Para completar, a iluminação em cima da mesa garante a usabilidade até mesmo durante os eventos noturnos.